terça-feira, 31 de março de 2015

PETISTAS ENTREGAM A JANOT MAIS PROVAS CONTRA AÉCIO

domingo, 29 de março de 2015

Governo de Minas estabelece critérios para definir crise hídrica e racionamento.

Petistas do Vale se reúnem em defesa de Reforma Política, defesa dos seus governos e punição de corruptos.

Defesa de princípios éticos, de renovação com aproximação da juventude e movimentos sociais, de lembrança de conquistas dos governos do PT, além de retomada das ruas, foram temas principais debatidos. 
Plenária do PT Médio Jequitinhonha, em Araçuaí, no Sindicato dos Trabahadores Rurais, em 28.03.


O Partido dos Trabalhadores tem na sua história uma estrutura interna democrática, apoiada em decisões coletivas, cuja direção e programa são decididos nas bases. É com esta orientação que militantes do PT do Vale Jequitinhonha realizaram três encontros regionais, neste sábado, 28.03.

Os Encontros regionais foram três, de acordo com cada microrregião. Em Carbontia, `no Centro Cultural, de 9 às 14 horas, reuniram-se 82 petistas do Alto Jequitinhonha, representantes de 14 municípios. No mesmo horário, os 42 militantes do Baixo Jequitinhonha, encontraram-se em Almenara, Clube dos Operários. À tarde, em Araçuaí, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais. a partir das 15 horas, foi a vez de 55 militantes do Médio Jequitinhonha, com a presença de 10 municípios. 

Com os Encontros Regionais “Mais Diálogo e Mais Participação”, que estão sendo realizados em todas as regiões do Estado, o Diretório Estadual está ouvindo os militantes, a população e as bases, para trilhar novos caminhos. Neste fim de semana, a programação previa a realização de 11 encontros, em várias regiões do Estado. 

O diretório do Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais também busca, neste momento, envolver as novas lideranças, os jovens, as mulheres e todos os setores da sociedade, nos debates que estão em curso.

No texto de convocação registra-se "O momento exige união, mas também autocrítica e descentralização. O que se propõe é: fortalecer o partido, trabalho junto às bases e movimentos sociais, defesa da democracia e dos governos de Fernando Pimentel e Dilma Rousseff e o envolvimento dos filiados na luta pelas grandes reformas.

À procura de novos rumos e desafios
Os debates nos 3 Encontros Regionais foram intensos. Militantes se colocaram em defesa do Governo Dilma, mas cobraram da direção estadual e nacional uma postura de cobrança dos princípios éticos e de aproximação com a juventude, mulheres e movimentos sociais. Foi exigido a punição de filiados envilvidos com práticas de corrupção. Vários militantes queixaram-se da punição prévia de petistas feita pela grande mída, com a colaboração de órgãos judiciais e policiais, e com o protecionismo de políticos do PSDB, DEM e seus aliados.  


Além da unidade partidária, foi afirmado que "devemos acima de tudo, lembrar à população que foi nos governos Lula e Dilma que ocorreram as maiores transformações e avanços no Brasil. Através da implementação de um projeto de desenvolvimento econômico, com inclusão social, geração de empregos e distribuição de renda".

A luta contra a corrupção e a punição de filiados foi uma temática comum e unânime entre todos, além da necessidade de uma Reforma Política, regulamentação dos meios de comunicação, contra ajuste fiscal que puna os trabalhadores, pela manutenção de programas sociais e taxação de grandes fortunas.
.
No final dos Encontros  Regionais, aconteceram a eleição de uma Coordenação Regional com 6 membros, sendo 01 coordenador geral, um adjunto, e responsáveis por Mobilização Social, Organização Política, Formação Política e Comunicação.

ALVOS DA LAVA JATO RESPONDEM POR 40% DAS DOAÇÕES POLÍTICAS

Cemig apresenta lucro de R$ 3,1 bilhões em 2014

O Lajida (Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) da Cemig em 2014 apresentou um aumento de 23,1% na comparação com 2013, passando de R$ 5,2 bilhões para R$ 6,4 bilhões. Entre outros fatores, esse desempenho ocorreu, principalmente, em função da redução do resultado de equivalência patrimonial em 2014.

O presidente da Cemig, Mauro Borges Lemos, disse que 2014 foi um ano marcante na história recente da Cemig em meio às adversidades impostas pelo regime hidrológico, que se mostrou bastante desfavorável nos últimos anos. “Continuamos focados em nosso objetivo de crescer de forma sólida e sustentável, alicerçados pelas diretrizes da Companhia de atuar no setor de energia com rentabilidade, qualidade e responsabilidade social e na consolidação como líderes de mercado no setor de energia elétrica no Brasil”, disse.

“Nosso modelo de gestão tem se mostrado eficiente. Dentre os fatores que nos permitem chegar a esta conclusão está a permanência dos sócios estratégicos, juntamente com a Cemig, no bloco de controle da Taesa. Não podemos deixar de ressaltar a qualificação do corpo técnico e gerencial da Companhia que tem conduzido de forma brilhante o processo de captura de sinergia entre as empresas do grupo, contribuindo assim para maximização dos resultados”, acrescentou o presidente.

De acordo com o diretor de Finanças e Relações com Investidores, Fabiano Maia Pereira, apesar de 2014 ter sido desafiador, a Cemig conseguiu REGISTRAR uma geração de caixa robusta, garantida pelo portfólio diversificado de negócios e dos elevados níveis de eficiência operacional. “O sólido balanço patrimonial é capaz de garantir a continuidade dos projetos da Companhia via execução do Plano Diretor frente ao novo panorama econômico e energético. O bom desempenho de nossas ações garantiu uma rentabilidade no ano, muito superior ao Ibovespa e ao índice do setor elétrico na Bovespa”, disse.

Consumidor paga a conta e garante lucro bilionário

Resultado contrasta com os aumentos de tarifa feitos e pedidos pela empresa; em abril de 2014, por exemplo, a Aneel autorizou o reajuste das contas de luz da Cemig no valor de 14,24%




De acordo com o relatório, a receita líquida da Cemig em 2014 totalizou R$ 19,539 bilhões, o que representa um crescimento de 33,5% em comparação com 2013, quando teve uma receita de R$ 14,627 bilhões.

Consumidor garante altos lucros para acionistas
Os números contrastam com os aumentos de tarifa feitos e pedidos pela empresa. Em abril de 2014, por exemplo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou o reajuste das contas de luz da Cemig no valor de 14,24% para os consumidores residenciais e 12,41% para os industriais. No entanto, o aumento pedido pela empresa mineira havia sido de 29,74%, sob a justificativa de que havia um aumento do gasto para geração de energia, já que foi preciso ligar as usinas térmicas por causa da estiagem prolongada.
No início de março, a Aneel aprovou o aumento da conta de energia elétrica para os consumidores de energia do país. Para os consumidores residenciais da Cemig, o aumento foi de 21,4%.
Na média geral, o reajuste para os consumidores da Cemig, incluindo as indústrias e setor de serviços, foi de 28,8%. 
Perfil da CEMIG
A Cemig é hoje a maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, sendo o maior grupo distribuidor, responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional. 
É ainda o segundo maior grupo transmissor e o terceiro maior grupo gerador, com um parque formado por 79 usinas hidrelétricas, 3 térmicas e 23 eólicas, com uma capacidade instalada de 7.717 MW. 
No ano passado, a Concessionária foi selecionada, pela 15ª vez consecutiva, para compor a carteira do Dow Jones Sustainability World Index no período 2014/2015, mantendo-se como a única Companhia do setor elétrico da América Latina a fazer parte do DJSI World desde a sua criação, em 1999.

 CEMIG está presente em 22 Estados e no Distrito Federal e opera uma linha de transmissão no Chile. Conta com mais de 115 mil acionistas em 44 países e ações negociadas nas BOLSAS de Valores de Nova York, Madri e São Paulo.

Criança portadora de autismo é estuprada por familiar no Vale do Jequitinhonha

Crime acontecia no Povoado de Morais, no município de Padre Paraíso. Homem é procurado pela Polícia.


Um homem de 42 anos foi denunciado na tarde da última quinta-feira, 26 de março, por estuprar uma criança de 7 anos e portadora de autismo. O crime acontecia no Povoado de Morais, no município de Padre Paraíso, no Vale do Jequitinhonha.
De acordo com a ocorrência registrada pela Polícia Militar (PM), um membro do Conselho Tutelar e uma psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) procuraram o quartel e informaram que estavam monitorando a criança e que há alguns dias ela apresentava sinais de abuso sexual, como dor no ânus, dor no corpo e choro incessante.
Ainda segundo a PM, o homem era o responsável por levar e buscar a criança na APAE de Padre Paraíso. Monitores da instituição informaram aos militares que o suspeito sempre apresentava sinais de embriaguez.
O conselheiro tutelar e a psicóloga se responsabilizaram em levar a criança ao hospital para atendimento com o perito médico. Conforme a ocorrência, o homem possui um outro registro policial, também por estupro de menor. A Polícia Militar realizou rastreamentos com intuito de localizar e prender o suspeito, porém sem êxito até às 5 horas da manhã dessa sexta-feira (27.03).

quinta-feira, 26 de março de 2015

Comissão das Águas vai realizar Audiência Pública para debater mineroduto e apontar alternativas

Requerimento do deputado estadual Dr Jean Freire (PT) aprova Audiência Pública em município atingido por mineroduto do Vale do Rio Pardo.
Evento deverá se realizar em Águas Vermelhas, Salinas ou Taiobeiras.



A Comissão das Águas da Assembléia Legislativa de Minas Gerais aprovou na tarde desta quarta-feira, 25.03, a realização de uma Audiência Pública, na região atingida pelo mineroduto Vale do Rio Pardo, para debater o projeto e apontar outras alternativas.

O requerimento, de autoria do deputado estadual Dr Jean Freire (PT), justifica a consulta pública devido ao grande impacto sócio-ambiental que provocará o mineroduto do Vale do Rio Pardo que retirará do Lago de Irapé, no rio Jequitinhonha, entre os municípios de Berilo e Grão Mogol, 14% do volume de água por ano, ou 551 bilhões de litros de água, em um região semiárida, de pouca disponibilidade de água.

A proposta de construção do mineroduto aponta que ele transportará através da força das águas o minério de ferro, in natura, do município de Grão Mogol, em Minas, até o porto de Ilhéus, na Bahia, para dali, ser enviado para seu processamento na China. 

O mineroduto proposto pela SAM Sul Americana de Metais, criada em 2006, e controlada pela chinesa Honbridge Holdines, terá o percurso total de 482 km, passando por 21 municípios de Minas Gerias e Bahia. Em Minas, terá 198 quilômetros com  30 metros de largura. O itinerário do mineroduto passará por 9 municípios de Minas, no norte e Vale do Jequitinhonha: Grão Mogol, Padre Carvalho, Fruta de Leite, Novorizonte, Salinas, Taiobeiras, Curral de Dentro, Berizal e Águas Vermelhas. 

O caso é grave, uma vez que o ex-governador de Minas, atual senador Antônio Anastasia, assinou, como último ato seu como governador, um decreto, tornando de utilidade pública as áreas por onde passará o mineroduto, sendo que o projeto ainda não tem aprovado o RIMA - Relatório de Impacto Ambiental.

O deputado estadual Dr Jean Freire argumenta que uma das saídas seria o próprio processamento do minério de ferro na região de Grão Mogol, onde é extraído o mineral, o que geraria milhares de empregos diretos e indiretos. Outra alternativas seria a construção de uma estrada de ferro para transportar o minério, o que seria uma solução convencional. Esta proposta beneficiaria os municípios atingidos pelo mineroduto com royalties, aumentando a arrecadação municipal tão irrisória, principalmente nesta época de crise.

A data da Audiência Pública e o local onde será realizada ainda não foram definidos. Dr Jean Freire afirma ser urgente a realização do evento, que será acertado com a Presidência da Assembléia Legislativa, dado à montagem de grande infraestrutura e deslocamento de pessoal do poder legislativo mineiro.  Em relação ao local, há a sugestão das cidades de Águas Vermelhas, Taiobeiras ou Salinas. 

Serão convidados para participar da Audiência Pública representantes da SAM, da ANA - Agência Nacional de Águas, representante do Governo de Minas, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, IGAM - Instituto de Gestão das Águas de Minas, gestores, parlamentares e cidadãos representantes dos municípios atingidos direta ou indiretamente pelo projeto, movimentos sociais como o MAB- Movimento de Atingidos por Barragens, CPT - Comissão Pastoral da Terra, FETAEMG e toda a população da região.

Movimentos sociais contestam mineroduto.
Adair Pereira de Almeida, o Nenzão, morador da comunidade de Vale das Canelas, em Grão Mogol, em depoimento em Audiência Pública na ALMG, contesta o Projeto da SAM. O morador diz que o projeto foi imposto pelo governo sem consultar as comunidades locais, em especial as comunidades tradicionais do Vale do Jequitinhonha, do Norte de Minas e da Bahia.

Os movimentos sociais exigem a revogação do Decreto Lei Nº 30, de 22 de janeiro de 2014, assinado por Anastasia, que declara de Utilidade Pública os terrenos por onde irá passar o Mineroduto do projeto Vale do Rio Pardo da Sul Americana de Metais (SAM). 

O representante do Movimento dos Atingidos por Barragem - MAB, Pablo Andrade Dias, questionou qual a utilidade pública de um decreto destinado a atender uma empresa específica. ”Como é que ele declara de utilidade pública todas as terras por onde irá passar um mineroduto de uma empresa privada, onde o interesse é só de um pequeno grupo?”, diz.

Os movimentos sociais também pedem à Agência Nacional das Águas (ANA) que suspenda a outorga preventiva que a SAM possui, “pois não existe um estudo profundo sobre os impactos que o mineroduto poderá causar a todos os mineiros e também ao povo da Bahia”, informam, em carta.