segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Nova pesquisa aponta crescimento constante de Dilma.Agora, tem 40,4%.

CNT/MDA: DILMA ABRE 9 PONTOS NO SEGUNDO TURNO.
:
Primeiro levantamento da semana que antecede as eleições aponta a presidente Dilma com 40,4% das intenções de voto, contra 25,2% de Marina Silva, vantagem de 15 pontos.
Petista cresceu 4,4 pontos em relação à mostra anterior, enquanto a candidata do PSB caiu 2,2.
Aécio Neves, do PSDB, sobe 2,2 pontos, para 19,8%.
Em simulação de segundo turno, petista seria reeleita com 47,7%, contra 38,7% de Marina, vantagem de nove pontos.
Na pesquisa anterior, disputa entre as duas daria empate técnico. 
Avaliação positiva do governo Dilma cresceu de 37,4% para 41%, enquanto a negativa diminuiu, de 25,1% para 23,5%

29 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 16:53

Brasil 247 – Primeira pesquisa da semana que antecede as eleições presidenciais, levantamento CNT/MDA aponta vantagem de 15,2 pontos da presidente Dilma Rousseff sobre Marina Silva no primeiro turno. A candidata do PSB, que caiu 2,2 pontos em relação à última mostra, de uma semana atrás, tem agora 25,2% das intenções de voto.

Aécio Neves, que havia registrado 17,6% das intenções de voto na última terça-feira 23, cresceu para 19,8% nesta segunda-feira 29, se aproximando da segunda colocada. O avanço da candidata à reeleição, que agora tem 40,4% das intenções de voto, foi de 4,4 pontos se comparado com a última pesquisa.

Luciana Genro (PSol) cresceu de 0,9% para 1,2%. Já Pastor Everaldo (PSC) reduziu de 0,8% para 0,6%. Os outros candidatos aparecem com 0,5%, enquanto votos brancos e nulos somam 5,9%. Outros 6,4% não sabem ou não responderam.

Em simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a presidente seria reeleita com 47,7% das intenções de voto, contra 38,7% da adversária, uma vantagem de nove pontos percentuais. Na pesquisa anterior, essa distância era de apenas um ponto percentual: 42% de Dilma contra 41% de Marina.

No cenário entre Dilma e Aécio, ela tem a preferência de 49,1% dos eleitores, enquanto o tucano aparece com 36,8%. No terceiro cenário, que simula a disputa de segundo turno entre Marina e Aécio, a candidata do PSB tem 41,1% das intenções de voto, contra 36% do presidenciável pelo PSDB.

Segundo a pesquisa, Dilma e Marina lideram a lista dos candidatos com mais probabilidade de receberem votos dos indecisos. Dos entrevistados que ainda não sabem em quem votar, 43,8% dizem que poderão votar na petista; 40,6% citam Marina Silva; 28,9% poderão votar em Aécio. A resposta era de múltipla escolha.

Avaliação do governo Dilma

A avaliação positiva do governo cresceu na última pesquisa, aponta o levantamento. Entre os entrevistados, 41% consideram o governo da presidente Dilma ótimo ou bom. Na pesquisa anterior, o índice estava em 37,4%. A avaliação negativa passou de 25,1%, do levantamento anterior, para 23,5%.

Também com alta (de 4,2 pontos), a aprovação do desempenho pessoal de Dilma Rousseff chegou a 55,6%. O total de eleitores que a desaprovam caiu de 43,8% para 40,1%.

Neste levantamento, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados das cinco regiões, nos dias 27 e 28 de setembro de 2014. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

DILMA TEM A MENOR REJEIÇÃO ENTRE PRESIDENCIÁVEIS

No mais recente levantamento CNT/MDA, a rejeição da petista recuou de 43,9 % para 41,1%; a do candidato à presidência do PSDB, Aécio Neves, caiu de 43,2% para 42,6%; por outro lado, a rejeição de Marina Silva foi a única a subir entre os três, passando de 39,5% para 42,5%

Entre os três principais presidenciáveis, Dilma Rousseff, presidenciável do PT, deixou de ser a mais rejeitada para ser a candidata com menor rejeição, segundo informações da pesquisa CNT/MDA.

De acordo com o levantamento, a rejeição da candidata à presidente recuou para 41,1%, de 43,9% na leitura anterior.


No mesmo sentido, a rejeição do candidato à presidência do PSDB, Aécio Neves, caiu de 43,2% para 42,6%. Por outro lado, a rejeição de Marina Silva foi a única a subir entre os três, passando de 39,5% para 42,5%. 

Confira a íntegra da pesquisa clicando aqui ou no arquivo abaixo: 

Dilma anuncia medidas contra a corrupção.


Dilma anunciou, em entrevista coletiva na sexta-feira (26.09.14), no Palácio da Alvorada, um conjunto de medidas concretas de combate à corrupção e contra a impunidade. “Eu acredito que o Brasil precisa ter reforçados alguns valores e alguns fundamentos, e um deles é o combate sem tréguas à corrupção. A impunidade é a questão central que temos que trabalhar”, disse a presidenta.
Ela anunciou um conjunto de medidas com cinco resoluções que marcarão o seu segundo mandato, com o objetivo de garantir processos e julgamentos mais rápidos e punições mais eficazes, sem justiça sumária ou pré-julgamento, e com a garantia do princípio constitucional do amplo direito de defesa. 
"O Brasil precisa ver um combate sem trégua à corrupção e isso tem sido compromisso do meu governo. A impunidade é uma espécie de mal que protege e assegura que a corrupção e os crimes financeiros tenham prosseguimento - ao se acharem impunes, as pessoas têm incentivo a continuarem". 
Os cinco pontos propostos pela candidata são:

 1. Modificação da legislação eleitoral para criação do crime de prática de "Caixa Dois", punindo todos os que se utilizarem de tais procedimentos; 

2. Aprovação, por lei, de crime que puna com rigor agentes públicos que apresentem enriquecimento sem justificativa ou sem demonstração da origem dos ganhos patrimoniais; 

3. Criação de uma nova espécie de ação judicial - "ação civil pública de extinção de domínio" - que permita declarar a perda da propriedade ou da posse de bens adquiridos por atividades ilícitas, ou de bens sem comprovação de procedência lícita; 

4. Alteração da legislação processual para agilização do julgamento de processos judiciais que digam respeito a desvio de recursos públicos, respeitando o contraditório e o mais amplo direito de defesa; 

5. Criação de uma nova estrutura no poder judiciário, em especial junto aos tribunais superiores (STJ e STF), que permita agilização e maior eficácia da investigação e dos processos contra agentes que possuem foros privilegiados. 

Dilma reiterou que tais propostas são continuidade das diversas ações de combate à corrupção tomadas ao longo dos governos do PT. 

Como exemplo, citou o fortalecimento da Polícia Federal; as 162 operações de combate à corrupção, lavagem de dinheiro e crime financeiro; o fortalecimento da relação com o Ministério Público, com a escolha do Procurador Geral da República apenas a partir da lista tríplice apresentada; a aprovação da Lei de Acesso à Informação; a Lei da Ficha Limpa; a Lei das Organizações; a continuidade do Portal da Transparência e as investigações da Controladoria Geral da União. 

BOLSA DE VALORES SINALIZA QUE DILMA PODE GANHAR EM 1º TURNO

Especuladores financeiros não gostam da Dilma por ela priorizar a indústria, serviços e programas sociais.
:
Soma da pesquisa Datafolha com 40% de intenções para a presidente Dilma Rousseff, promessa não cumprida da revista Veja de lançar uma bomba sobre a sucessão e fiasco de Marina Silva no último debate entre candidatos agitam mercado financeiro.
Bolsa cai a 5,23% às 10h45, com ações da Petrobras iniciando o dia com perdas que já chegaram a 10%.
Investidores e especuladores contabilizam chance cada vez mais alta de Dilma liquidar a eleição já no domingo 5. Mercado financeiro nunca escondeu mau humor com a presidente.

29 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 11:05


Brasil 247 – O mercado financeiro acredita numa vitória da presidente Dilma Rousseff já no primeiro turno da eleição presidencial. 

É o que sinaliza o Índice Bovespa, em São Paulo, na abertura do pregão desta segunda-feira 29, a abertura da reta final da eleição presidencial. 

A soma de três fatores explicam a derrubado índice, puxada por uma baixa nas ações da Petrobras que chegava a 9% às 10h45: 1 - a pesquisa Datafolha, divulgada na sexta-feira 26, com 40% de intenções de votos para a presidente Dilma Rousseff e declínio da candidata Marina Silva, do PSB, além de uma parada na volta ao crescimento de Aécio Neves, do PSDB; 2 - a suposta bomba que não foi detonada na revista Veja, que prometia novas denúncias surgida na delação premiada do doleiro Alberto Yousseff; 3 - e o pífio desempenho de Marina no último debate presidencial, no qual não soube explicar seu voto contrário à CPMF.

Por todas essas razões, o mercado, que nunca escondeu não querer a vitória de Dilma, passou um recebo de que, politicamente, a seis dias das urnas, ela nunca teve tão boas condições como agora de vencer no primeiro turno.

Abaixo, notícia do site Infomoney, parceiro de 247:

Ibovespa cai mais de 5% após Datafolha, com Petrobrás despencando mais de 10%.

Atual presidente praticamente dobrou sua vantagem sobre Marina Silva (PSB) no primeiro turno da eleição

SÃO PAULO - O Ibovespa registra forte queda nesta segunda-feira (29), após pesquisas eleitorais divulgadas na sexta-feira à noite mostrarem nova melhora da presidente Dilma Rousseff na corrida presidencial. Às 10h20 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa brasileira caía 5,23%, aos 54.251 pontos.

Dentre os papéis que são negociados nesta manhã, destaque para Bradesco (BBDC3, R$ 35,24, -7,53%; BBDC4, R$ 35,58, -7,32%), Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 35,10, -6,90%), Itaúsa (ITSA4, R$ 9,44, -6,81%) e Eletrobras ON (ELET3, R$ 6,87, -6,28%). O dólar tem um dia de forte alta de cerca de 2%, enquanto os contratos de juros futuros com vencimento entre 2017 e 2019 chegam a subir entre 2 pontos percentuais e 4,5 pontos percentuais.

As ações PN da Petrobras têm queda de mais de 10%, após a petrolífera já marcarem queda de quase 10% em Nova York mais cedo. As ações ordinárias da Petrobras abriram em queda de 8,88% por volta das 10h12, a R$ 18,06, enquanto o Banco do Brasil cai mais de 8%. Os papéis da Vale caem mais de 2%, também repercutindo a nova queda do preço de minério de ferro. Em somente em um minuto de Bolsa, as ações da estatal já perderam R$ 12,39 bilhões na Bolsa e é a maior queda desde novembro de 2008, quando houve circuit break.

Levantamento do Datafolha mostrou que a candidata à reeleição pelo PT praticamente dobrou sua vantagem sobre Marina Silva (PSB) para o primeiro turno da eleição, no próximo domingo, e passou a ter vantagem numérica em relação à candidata do PSB em simulação de um segundo turno. Na mesma linha, pesquisa Sensus mostrou a petista liderando com folga as intenções de voto para o primeiro turno, ao mesmo tempo em que diminuiu a vantagem de Marina sobre Aécio Neves (PSDB).

O quadro externo desfavorável corroborava as perdas, com declínio nos índices futuros norte-americanos e nas bolsas europeias, em meio a manifestações civis em Hong Kong.

Vale ressaltar que o mercado havia registrado alta na última sexta-feira, esperando um Datafolha mais favorável à candidata Marina Silva, o que não aconteceu, mas também esperando novas notícias da Veja. A revista mostrou que a campanha de Dilma Rousseff em 2010 pediu dinheiro a Paulo Roberto Costa, diretor do abastecimento da estatal, mas não deve ter tantos efeitos sobre a candidatura da petista. Assim, o mercado pode devolver a alta registrada na última sexta-feira.

Em meio à alta do dólar, somente as ações das exportadoras Fibria e Suzano registram leve alta.

Mais um debate e Dilma mantém a coerência na defesa de suas propostas

Debate mostra acirramento entre Dilma e Marina.

No final deste domingo (28.09.14), a candidata à reeleição Dilma Rousseff participou do penúltimo debate antes do primeiro turno das eleições, promovido pela TV Record, e se mostrou mais uma vez firme, coerente, defensora de suas propostas e uma candidata de posições claras. Em suas primeiras falas já deixou claro: “Governar o Brasil requer firmeza e coragem. Não dá pra improvisar”.

A candidata da coligação Com a Força do Povo teve dois direitos de resposta negados, e mesmo assim se desdobrou para não deixar o público mal informado. Utilizando o tempo de resposta ou de réplica de outros temas, destacou que o Brasil tem o maior programa de remédios gratuitos do mundo. São mais de 18 milhões de remédios gratuitos em milhares de farmácias espalhadas pelo Brasil, explicou.

Quando teve direito de resposta concedido, esclareceu que “quem demitiu o Paulo Roberto [ex-diretor da Petrobras] fui eu. A Polícia Federal, do meu governo, foi quem investigou todos esses malfeitos, crimes e ilícitos. Quero dizer que sou a única candidata que apresentei propostas concretas de combate à corrupção e, principalmente, à impunidade, como tornar o caixa dois crime”.

Dilma defendeu os Direitos Humanos, quando questionada sobre a diminuição da maioridade penal: “a melhor solução para os menores é punir a quadrilha que usa os menores para diminuir suas penas”.

E não poupou os adversários: “É eleitoreiro falar que vai reestatizar a Petrobras”, observou em fala direcionada a Aécio Neves, lembrando que o governo do seu partido chegou a alterar o nome da empresa, que já é estatal, para Petrobrax, em uma manobra que visava a privatização da mesma.

Dilma foi incisiva em pergunta à candidata Marina Silva: “Qual é realmente a posição da senhora a respeito do crédito subsidiado dos bancos públicos?” Em uma demonstração de suas técnicas populistas, Marina respondeu o que as pessoas querem ouvir, afirmando que vai manter os subsídios para que se mantenha programas habitacionais e crédito para agricultura. No entanto, na réplica, Dilma observou que a fala bonita não condiz com o programa de governo, nem com o posicionamento dos assessores de Marina. Ficou a dúvida se a pessebista vai abrir mão dos assessores ou do discurso bonito.

Nas considerações finais, Dilma pediu uma reflexão do eleitor e observou ter certeza que no final da reflexão, será feita a melhor escolha. “Quem tem experiência para mudar mais? Quem tem compromisso verdadeiro com os trabalhadores? Eu peço que você reflita. Eu tenho certeza que, ao responder essas perguntas, você vai fazer a melhor escolha”, encerrou, lembrando que no último domingo vamos votar com paz e amor no coração.

Veja o debate no nosso canal no YouTube!
https://www.youtube.com/watch?v=lp4Xfpi22kI 2ºBloco debate TV Record

https://www.youtube.com/watch?v=T2lyS5uXqHI 3ºBloco debate TV Record

https://www.youtube.com/watch?v=M-QIBGanigo 4º Bloco debate TV Record

Fonte: MudaMais.

domingo, 28 de setembro de 2014

PT JÁ SE PREPARA PARA SEGUNDO TURNO COM AÉCIO

Aécio cresce e deve disputar 2º turno com Dilma.


Lideranças do Partido dos Trabalhadores receberam números que mostram queda acentuada de Marina Silva, especialmente em São Paulo e nas cidades grandes e médias do País.
Com isso, a situação entre ela e Aécio Neves, do PSDB, já seria de empate técnico na briga pelo segundo lugar.
Dados recebidos pela campanha indicam percentuais próximos a 38% para Dilma, 23% para Marina e 19% para Aécio.
Neste domingo, dirigentes do PT avaliaram o novo cenário; petistas acreditam que tucano irá ultrapassar a candidata do PSB e não consideram isso uma boa notícia, pois Marina seria derrotada com mais facilidade.


A sucessão presidencial pode estar reservando mais uma surpresa para a última semana: um segundo turno entre a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), retomando o quadro inicial de polarização entre PT e PSDB.

Neste domingo, dirigentes do PT se reuniram para discutir esse novo cenário. A reunião foi provocada pelos dados que chegaram à campanha petista.

De acordo com levantamentos diários de um instituto de pesquisa nacional, Marina caiu drasticamente em São Paulo, nas cidades grandes e médias do País.

Com os números, a presidente Dilma teria 38%, contra 23% de Marina e 19% de Aécio. Essa distância, de apenas quatro pontos, configuraria uma situação de empate técnico entre o tucano e a candidata socialista.

Outro dado relevante foi a simulação de segundo turno. Dilma venceria Marina Silva por 45% a 40%. E a distância para Aécio seria praticamente a mesma: 46% a 39%.

Isso mostra que deu certo a estratégia tucana de enfatizar, nos programas eleitorais, que Aécio seria o "voto útil para derrotar o PT".

Até então, Marina vinha se beneficiando de uma debandada de eleitores tucanos que enxergavam nela a possibilidade mais concreta de derrotar o PT. Eleitores que preferiam Aécio, mas a viam como uma espécie de "plano B", com maiores perspectivas de vitória.

Com os novos dados, que devem ser confirmados já nas próximas pesquisas, Aécio deverá partir para o embate direto com Marina, para, assim, passar para o segundo turno.

No PT, no entanto, a sensação não é exatamente de alívio. Dirigentes do partido consideram que, no quadro atual, Marina seria uma adversária mais fácil de ser batida, pois está em queda livre e fragilizada por suas próprias contradições.

Um Aécio renascido das cinzas, e com fôlego renovado por novas denúncias de corrupção, pode vir a ser um adversário mais perigoso, na avaliação do PT.

Fonte: Brasil 247

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Dilma dispara e pode ganhar no primeiro turno, diz Datafolha.

Datafolha - 26.9 - final (Foto: Arte/G1)


Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (26.09) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para a Presidência da República:
Dilma Rousseff (PT): 40%
Marina Silva (PSB): 27%
Aécio Neves (PSDB): 18%
Pastor Everaldo (PSC): 1%
Luciana Genro (PSOL): 1%
Eduardo Jorge (PV): 1%
Zé Maria (PSTU): 0%*
Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
Eymael (PSDC): 0%*
Levy Fidelix (PRTB): 0%*
Mauro Iasi (PCB): 0%*
- Branco/nulo/nenhum: 5%
- Não sabe: 6%
* Cada um dos cinco indicados com 0% não atingiu, individualmente, 1% das intenções de voto; somados, eles têm 1%.
No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 19, Dilma tinha 37%, Marina, 30%, e Aécio, 17%.
A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo".
Segundo turno
O levantamento divulgado nesta sexta indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, a candidata do PT tem 47% das intenções de voto e a do PSB, 43%. Segundo o Datafolha, "embora persista o empate técnico no limite da margem de erro, há maior probabilidade de Dilma estar à frente de Marina neste cenário". É a primeira vez que a presidente aparece numericamente à frente. Na semana passada, Marina tinha 46% e Dilma, 44%.
Na simulação de segundo turno entre Dilma e Aécio, a petista vence por 50% a 39% (49% a 39% na semana anterior).
Datafolha ouviu 11.474 eleitores em 402 municípios nos dias 25 e 26 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00782/2014.
Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao entrevistado em quem ele pretende votar, sem apresentar a lista de candidatos), os resultados são os seguintes:
- Dilma Rousseff : 33%
- Marina Silva: 21%
- Aécio Neves: 14%
- Outras respostas: 2%
- Em branco/nulo/nenhum: 5%
- Não sabe: 25%
Rejeição
A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os números:
- Dilma Rousseff: 31%
- Marina Silva: 23%
- Pastor Everaldo: 22%
- Aécio Neves: 20%
- Zé Maria: 17%
- Levy Fidelix: 17%
- Eymael: 16%
- Luciana Genro: 15%
- Rui Costa Pimenta: 14%
- Eduardo Jorge: 13%
- Mauro Iasi: 13%
Avaliação da presidente
A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff tem a aprovação de 37% dos entrevistados – mesmo índice do levantamento anterior, divulgado no último dia 19. O percentual de aprovação reúne os entrevistados que avaliam o governo como "ótimo" ou "bom".
Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo” são 22%, segundo o Datafolha (ante os 24% da semana passada). Para 39%, o governo é "regular" (eram 38% no levantamento anterior).
O resultado da avaliação é:
- Ótimo/bom: 37%
- Regular: 39%
- Ruim/péssimo: 22%
- Não sabe: 1%
A nota média atribuída pelos entrevistados ao governo foi 6,1 (a mesma da semana anterior).
Diminuiu chance de ter 2º turno, avalia Datafolha

Agência Estado
Publicação: 26/09/2014 20:07 
O resultado da pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta-feira, indica que pode diminuir a chance de a eleição presidencial ser definida no segundo turno. "O resultado é importante porque indica a diminuição da chance de ter segundo turno", destacou o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, em entrevista à TV Folha, após a divulgação dos novos números da pesquisa que indicam Dilma Rousseff (PT) subindo de 37% para 40%, Marina Silva (PSB) caindo de 30% para 27% e Aécio Neves (PSDB) oscilando positivamente de 17% para 21% no primeiro turno. Em termos de votos válidos, Dilma tem 45%, Marina tem 31% e Aécio 21%.

Segundo o diretor-geral do Datafolha, a pesquisa indica também que a disputa pelo segundo lugar, entre Marina Silva e Aécio Neves, tende a se acirrar nesta reta final para a eleição em primeiro turno. "A questão é saber se o tucano terá fôlego para alcançar Marina." Apesar da avaliação, Paulino reiterou que se for mantida a média de votos nulos e brancos das eleições anteriores, de 8% e 9%, e se Dilma alcançar entre 45% a 46% dos votos no primeiro turno (hoje ela tem 40% da intenções de voto), tem grande chance de fechar a eleição no primeiro turno e ser reeleita. "Se Dilma subir mais 5 a 6 pontos, liquida a fatura no primeiro turno", emendou.

Segundo o diretor do Datafolha, o Nordeste foi a região que deu maior vantagem a Dilma e, consequentemente, a perda de intenção de votos para Marina. "No Nordeste, Marina perdeu 9 pontos e Dilma cresceu 6 pontos, o que simboliza o reflexo da propaganda do medo (da campanha petista) e a preocupação dos eleitores de baixa renda dessa região, que tem mais acesso aos benefícios sociais, perderem tais conquistas caso Dilma não vença essas eleições".

A pesquisa Datafolha ouviu 11.474 eleitores em 402 municípios do Brasil. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais e o nível de confiança, de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00782/2014.

Mapa eleitoral mostra Dilma consolidada em todo o país.

O mapa eleitoral do Brasil.


Por Miguel do Rosário, postado em 25.09.2014, no O Cafezinho


Os infográficos abaixo evidenciam uma realidade incontestável, só mesmo escondida pela mídia.

O eleitorado de Marina Silva é incrivelmente concentrado em São Paulo, onde tem caído (tinha 38% e agora tem 32%).

O primeiro infográfico é do Estadão Dados, feito com números do Ibope. A mancha vermelha é Dilma. A amarela, Marina.

Marina lidera em 3 estados e no Distrito Federal. Dilma lidera em quase todo o resto do país.

Em Minas, pintado como cinza ou “empate técnico”, Dilma tem 32%, Marina 20% e Aécio 31%.

No Rio Grande do Sul, Dilma tem exatamente o dobro das intenções de voto em Marina: 42% X 21%.

Dilma

Abaixo, um infográfico do Globo de domingo. Mostra os palanques de cada candidato  no 1º e 2º turno. É impressionante a superioridade política de Dilma Rousseff.

Está claro que a candidatura de Dilma Rousseff é infinitamente mais capilarizada, mais representativa, mais distribuída, por todo o Brasil.

O fenômeno Marina é uma reação assustada de São Paulo, querendo subjugar o resto do Brasil. Sendo um estado com alto nível de industrialização, e com receitas próprias muito relevantes, São Paulo não se entusiasma tanto com os programas sociais federais, nem com a política de investimentos em infra-estrutura.

São Paulo está errada, contudo.

O PSDB, que governa o estado há décadas, não fez os investimentos mais básicos: infra-estrutura hídrica, para melhor distribuir a água nas áreas de maior concentração urbana; e metrôs, para desafogar o trânsito da capital.

A política industrial do governo federal, usando o BNDES para emprestar a juro baixo para as grandes empresas produtivas de São Paulo, permitiu a travessia da crise internacional com danos mínimos. Não houvesse a política industrial, poderíamos – incluindo São Paulo – ter saído da crise com um cenário de devastação.

Araçuaí: Vereadores aprovam contas do ex-prefeito Aécio Jardim

Apenas o vereador Itamar Matos se absteve de votar.

Foto: GBI - A decisão foi comemorada por partidários do ex-prefeito que acompanharam a reunião

Por cinco votos favoráveis, quatro contrários e uma abstenção, os vereadores do município de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha, aprovaram a prestação de contas do ano de 2012, do ex-prefeito Aécio Silva Jardim (PDT) em reunião  extraordinária realizada na noite dessa terça-feira (23).

 Os vereadores que votaram a favor,  afirmaram que estavam acompanhando o parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado (TCE) favorável à aprovação das contas.
 
Já os vereadores da base de apoio do atual prefeito, disseram que estavam votando contra a aprovação, tendo em vista que no final de novembro de 2013, a Procuradora Cristina Andrade Melo, do Ministério Público de Contas do Estado de Minas Gerais, opinou pela rejeição de contas do ex-prefeito.

 Em sua argumentação, a procuradora alegou  que a abertura de um crédito suplementar na ordem de R$ 2 milhões, foi feita sem cobertura legal. O ex-prefeito  apresentou defesa e  o Tribunal de Contas do Estado, optou pela aprovação das contas em dezembro do ano passado.

O recurso, segundo o prefeito, foi utilizado em obras de infraestrutura do município.

Comemoração
 
Um grupo de cerca de 40 pessoas ocupou o plenário da Câmara para acompanhar a votação que teve início às 18 hs e durou uma hora, com direito a 10 minutos de debates para cada vereador.
 
O primeiro a falar, foi o vereador Tadeu da Costa Gomes (PP).

 Com frases de efeito, ele afirmou que muitas pessoas estavam ali, ávidas para colocar uma quilhotina no pescoço do ex-prefeito, e que “quem tem telhado de vidro não atira pedra em telhado dos outros”, ao se referir à rejeição de contas do ex-prefeito José Antonio Martins.
a ex-prefeita Maria do Carmo Silva , a Cacá (PT) também teve contas rejeitadas por sugestão do Tribunal de Contas.

Tadeu Gomes pediu em seu pronunciamento, que os vereadores não agissem com vingança no momento da votação e sim, com honestidade.
 
Já o vereador Arthur Cândido Filho (PT) afirmou que parecer  favorável do TCE não significava que os vereadores deveriam votar pela aprovação das contas.
 
Seu entendimento foi acompanhado pelo vereador André Carvalho (PT). “ O Tribunal de Contas recebe apenas dados numéricos e não acessa notas fiscais, notas de empenho, extratos bancários, entre outros documentos que estão abertos para qualquer cidadão”, disse o vereador André.
 
O vereador Itamar Matos (PSDB) se absteve de votar alegando que havia discordâncias entre o Ministério Público de Contas e o Tribunal de Contas sobre a matéria.
 
“Ficamos sem saber quem estava certo”, alegou o vereador Frederico Fernandes (PT) que votou pela rejeição.

O presidente da Câmara só vota em casos de empate, o chamado " voto Minerva".
 
A apreciação das contas do ex-prefeito estava prevista para reunião do dia 22 de agosto,  mas a mesa diretora da casa pediu mais tempo para apreciar a matéria, marcando a nova data para uma reunião extraordinária realizada nesta terça-feira.
 
Veja como votaram os vereadores
A favor
Vereadores Asdúbal Teixeira (PSB) Paulinho do Caminhão (PMDB) Cláudio Nunes (PV) Tadeu Gomes e a vereadora Jucélia de Matos (PMDB).

Contra: André Carvalho, Frederico Fernandes, Arthur Cândido, do PT, Elias Esteves (PSL) e Itamar Matos (PSDB) que se absteve da votação.

O ex-prefeito Aécio Jardim não compareceu à sessão mas por telefone comemorou e elogiou a decisão da Câmara.

Partidários do ex-prefeito também comemoraram com palmas e foguetes após o final da votação.

Fonte: Gazeta de Araçuaí

Justiça determina que integrantes do MST saiam de fazenda ocupada em Novo Cruzeiro

Famílias ocupam área de 340 hectares há treze anos, em Novo Cruzeiro. Liminar da 3ª Vara Agrícola estabeleceu dez dias para a saída.

Representantes de aproximadamente 150 pessoas do Movimento Sem Terra (MST) se reuniram na terça-feira (23), na Câmara de Vereadores de Novo Cruzeiro, no Vale do Jequitinhonha, para negociar uma desocupação de terras. Segundo a Polícia Militar, o grupo do MST ocupou uma área de 340 hectares , a 9km da cidade, e usam o lugar para atividades agrícolas. Os ocupantes deverão sair das terras em até dez dias.

Reunião realizada entre representantes do MST e autoridades (Foto: Cristiano Dias/G1)

De acordo com a polícia, a área foi ocupada há 13 anos, mas agora uma liminar da justiça, requisitada pelos donos da fazenda ocupada, foi expedida, exigindo a desocupação do terreno. A ordem para reintegração de posse veio do comando da PM em Belo Horizonte, através da 3ª Vara Agrícola.

Para conversar sobre a possível saída do grupo de pessoas, o MST se reuniu com os militares, bombeiros, Polícia Civil e a Secretaria Regional de Estado.

Após uma hora e meia de negociação foi dado um prazo de dez dias para a solução do problema. Na reunião, foi determinado que a Prefeitura de Novo Cruzeiro pode comprar, nestes dez dias, 27 hectares da fazenda, onde vivem as 35 famílias do movimento, para manter a produção agrícola produzida na área. O valor de compra ultrapassa 100 mil reais.

Segundo o líder do MST, a desapropriação imediata não deveria ser realizada, porque o acampamento se tornou uma colônia agrícola e vários produtos cultivados no local são comercializados na região. Ainda de acordo com a liderança do movimento, as famílias vão resistir às tentativas de desocupação da área.

De acordo com a polícia, caso a compra não aconteça, a ordem de reintegração de posse deve ser cumprida. Os proprietários da fazenda não foram localizadas para comentar sobre a desocupação. )

Fonte: G1

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Dilma, em discurso na ONU,defende marco civil global na internet

  1. A presidenta Dilma Roussef, em discurso na abertura da 68ª Assembléia-Geral das Nações Unidas, defendeu o marco civil global na internet. O Brasil deu exemplo ao mundo, aprovando,em abril de 2014, o  Marco Civil na Internet com garantias à liberdade de expressão e direitos dos internautas.

  2. Em discurso na ONUDilma defende marco civil global e ...

    www.youtube.com/watch?v=7TqNk5fMd_8
    24/09/2013 - Vídeo enviado por TVNBR .
    ATIVIDADES DA PRESIDENTA: Em discurso de abertura da 68ª Assembleia-Geral das Nações Unidas ...

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

CUT: 7,7 MILHÕES ASSINAM PLEBISCITO PELA REFORMA POLÍTICA

Fernando Pimentel debate com lideranças o papel do governo de Minas no desenvolvimento do Vale.

  1. O candidato do PT ao Governo de Minas, Fernando Pimentel, debate com

  2. lideranças do Médio Jequitinhonha, de Araçuaí, Coronel Murta, Itaobim, Itinga 
  3. e Virgem da Lapa, as potencialidades da região e o papel das políticas públicas
  4. para dar impulso ao desenvolvimento regional.
  5. Pimentel13 - Ouvir para governar - Vale do Jequitinhonha ...

    www.youtube.com/watch?v=_Pp9fmyC7e0
    1 dia atrás - Vídeo enviado por Pimentel Minas
    Fernando Pimentel participa de conversas com os mineiros doVale do Jequitinhonha. Na conversa ...